Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



33 semanas

25.03.14

Chegámos às 33 semanas no Domingo, mas ainda não tive força de vontade para escrever sobre isso. Sinto-me cansada, sem energia para nada. Venho trabalhar porque tem mesmo que ser, mas não tenho vontade nenhuma. Falo apenas o que tenho que fazer e só me apetece dormir. Sinto também uma certa depressão. Não é contínua, mas tenho momentos mais em baixo. Bom, é assim que anda a mãe. Vamos ver como anda a minha riqueza...

 

A cabeça do bebé ainda é relativamente flexível, e os ossos não se fundiram completamente. Uma das razões para isso é facilitar a passagem pelo canal do parto. Mas os ossos do restante do corpo estão a ficar cada vez mais rígidos. A pele do bebé também perde o aspecto avermelhado e enrugado.

Se for o primeiro filho, há mais chances de o bebé encaixar a cabeça na pelve esta semana, pressionando o seu colo do útero. Para quem já teve outro filho, a previsão é que o encaixe aconteça uma semana antes do parto ou, até mesmo, só no parto.

Noto que as minhas mãos estão um pouco inchadas. Os anéis já não ficam tão bem como antes. A retenção de líquidos costuma piorar nos dias quentes. Beber bastante água ajuda a amenizar o inchaço, ajuda os rins e o bebé. Se o inchaço vier muito de repente, porém, nas mãos ou no rosto, deve procurar o médico pois pode ser um sinal de pré-eclâmpsia e tem consequências bastante graves. É normal, também, as mãos doerem de manhã e sentir um formigueiro à noite. Os tecidos do pulso incham e pressionam os nervos, o que pode causar este desconforto.

Outro sintoma inesperado é a comichão, mas é normal. No entanto, se a comichão for muito forte, sobretudo nos pés e mãos, vá ao médico pois pode ser um problema mais sério, a colestase obstétrica.

 

Vejam ese vídeo explicativo das 33 semanas. Está giro.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:24

32 semanas

17.03.14

Ontem, cheguei às 32 semanas. Não foi uma grande excitação, dado que ontem me sentia um pouco deprimida. Apesar do lindo dia de sol, resolvi ficar em casa, a queixar-me do desconforto e da vida. Confesso que que já estou mesmo farta da gravidez. Para ajudar, hoje é segunda-feira e estar a escrever sobre este assunto no dia de hoje é duplamente deprimente. Já não me apetece trabalhar, mas preciso de trabalhar. Enfim... Mas voltemos às 32 semanas da minha princesa. Está cada vez maior. :)

 

Então, aparentemente a minha princesa já chegou aos 1,7kg e mede cerca de 42 centímetros de comprimento. Esta semana vou ao médico e espero já poder confirmar estas medidas. :) Os pulmões são os últimos órgãos a amadurecer, mas os bebés já respiram através da inspiração do líquido amniótico.

 

Para quem está grávida de um menino, isto é interessante. Os testículos devem estar agora a descer da barriguita para o saco escrotal. Por vezes, um dos testículos, ou mesmo os dois, não está na posição certa quando o bebé nasce, mas isso resolve-se no período de um ano.

Ora, este é precisamente um dos motivos da minha tristeza. Nesta fase, é normal que se engorde meio quilo por semana. O bebé ganha agora cerca de metade do peso que terá quando nascer. Portanto, temos que comer bem. E bem não significa comer muito, até porque eu acho que só o ar me está a engordar.
A quantidade de sangue que circula no nosso corpo aumentou muito. Está 40% a 50% maior do que era antes da gravidez. Esse sangue compensa eventuais perdas que aconteçam na hora do parto. Por causa desse sangue todo, às vezes aparecem sangramentos nas gengivas e no nariz. Comigo é certinho, apesar da quantidade ser reduzida.

À medida que a barriga cresce, o centro de equilíbrio muda. Se repararem, o rabiosque fica mais arrebitado e a coluna assume uma curvatura no fundo. É muito fácil perder o equilíbrio, por isso é preciso ter cuidado. Eu costumo fazer alongamentos, porque as costas precisam mesmo desse exercício. Fala-se também de uma dor na virilha ou no osso púbico. Eu ainda não senti nada disso. Não me parece nada bem. Alguém já sentiu?
Recomendações para quem sente aquelas contrações sem dor de Braxton-Hicks. Se as sentir muito próximas uma das outras, procure ir fazer xixi ou beber um copo de água. Costuma aliviar. Relembro que o meu médico me recomendou tomar magnésio (Magnesona).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Há quem diga que entrei nos 8 meses. Há tabelas por aí que o sugerem, também. Da minha parte, se me dissessem que estava no fim do tempo, eu acreditava. Nem quero acreditar que isto ainda vai piorar.

 

A minha moçoila deverá estar a pesar cerca de 1,5 kg. Quero ver se na próxima consulta já conseguimos fazer os cálculos mais precisos. Parece que agora vai começar a crescer muito e já vira o pescoço para os lados. Noto que ela se mexe mais à noite. Também já li que pode ser uma impressão nossa pelo facto de à noite estarmos mais quietas e sentimos tudo muito mais. Para já, não me incomoda muito. Exceptuando uns solavancos mais surpreendentes, adoro senti-la a mexer e nem sequer me acorda. Os movimentos dentro da barriga assustavam-me muito antes de engravidar. Confesso que é muito bom e ficamos mais sossegadas, pois significa que o bebé está saudável.

 

As contracções de Braxton-Hicks podem tornar-se mais intensas nesta fase. Eu já as tenho há uns dois meses. A barrica fica dura, mas pode até nem ser toda a barriga, e sim uma parte. São completamente inócuas e sem dor, mas assustam um pouco. Agora, já sei o que são, por isso não me preocupa. O meu médico receitou-me Magnesona (magnésio) e vi que reduziram bastante. De qualquer forma, é o nosso corpo a preparar-se para o parto, por isso está tudo bem. Só devemos preocupar-nos caso estas contracções ocorram mais do que 3 ou 4 vezes por hora, se estivermos a perder líquido vaginal foram do normal ou se tivermos uma espécie de dores menstruais ou nos rins. Isto pode significar um parto prematuro, ou não. Convém ir ao hospital ver o que se passa.


Mantenham-se hidratadas. Eu tento beber no mínimo 1,5 l de água por dia. Não tenho conseguido sempre porque tenho andado com um bocado de azia. Beber água deixa-me pior...

 

Outra coisa que pode acontecer nesta altura é perder líquido pelas mamocas. Esse líquido ainda não é leite, é uma espécie de pré-leite chamado de colostro. Eu não liberto nenhum líquido por enquanto, nem sinto nada nas mamas. Não cresceram por aí além, uso os mesmos soutiens. É normal isto acontecer e é normal sair colostro. Também não tem qualquer relação com a quantidade de leite que vamos produzir quando a criança nascer. Espero bem que não, pois pretendo amamentar muito. Caso haja perdas de líquido, deve usar uns discos para proteger os mamilos. Há a venda em qualquer farmácia ou parafarmácia e dormir com soutien.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:26

30 semanas

03.03.14

Chegámos às 30 semanas e ainda falta tanto...

 

O bebé nada em cerca de meio litro de líquido amniótico, que vai diminuindo com o passar das semanas. Portanto, há menos líquido mas a criança está maior. A verdade é que me sinto cada vez mais pesada. Estima-se que neste mês, as grávidas ganham entre 1,5 e 2 quilos, e é absolutamente normal engordar cerca de meio quilo por semana no último trimestre. É normal, mas eu queria ver se não engordava mais. Já é difícil o suficiente assim. Como o bebé precisa de cada vez mais nutrientes, eu ando sempre cheia de fome. Estou insaciável.

 

No início da gravidez, andava mais sensível. Depois, fui ficando cada vez mais zen, completamente imperturbável. Agora, as variações de humor voltam a ser comuns. Ontem, na entrega dos Oscars, lá estava eu a chorar com os discursos.

 

Outra coisa que me preocupa é o parto. Não me tem saído da cabeça e aborreço toda a gente com isto. Depois, fico com dúvidas se estarei preparada para a maternidade, se tenho tudo o que é preciso, se vou conseguir ter dinheiro para sustentar a minha filha... é um drama.

 

Bom, vamos aguardando as próximas semanas e esperar que passem depressa.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:03

29 semanas

24.02.14

Ontem, celebrámos mais uma semaninha. E a Maria Victória cresce, cresce...

 

Os músculos e pulmões continuam a amadurecer, a cabeça cresce para acondicionar o cérebro sempre em desenvolvimento. A mãe agora precisa de ter ainda mais cuidado com a alimentação: mais proteína, vitamina C, ácido fólico e ferro. Os ossinhos estão a acumular cálcio, por isso há que tratar de absorver o mais possível. Eu não costusmo beber leite (apesar de agora andar com apetites de leitinho), mas aposto sempre nos derivados e legumes de folha verde escura. Um caldinho verde tem imenso cálcio.

 

O nosso bebé anda muito activo agora. Tenho uma amiga que está grávida do mesmo tempo que eu, mas é o segundo filho. Ela queixa-se constantemente de que ele mexe imenso e não lhe permite descansar. Eu não sei se é de ser o primeiro filho, se é de ser rapaz ou se o miúdo é mesmo rebelde, mas a minha princesa mexe, mas não me incomoda, não me acorda com os seus movimentos, nem me impede de dormir. Para já, é uma querida.

 

Fala-se que agora a azia e a obstipação têm um papel central. Azia tenho de vez em quando, mas o Kompensan resolve o problema na hora. Agora, o que me dá cabo da cabeça é mesmo a obstipação. Os legumes, frutas e linhaça em água têm resolvido o problema por agora. Estas maleitas todas devem-se à progesterona. Esta hormona da gravidez tem-me lixado a vida porque relaxa os músculos do tracto intestinal. Isto, juntamente com o volume crescente da barriguita, desacelera a digestão e contribui para estas coisas todas muito 'agradáveis'.

 

Diz que também podem aparecer hemorróidas e que devem desaparecer nas semanas seguintes ao parto. Estou a dar saltos de alegria! Eu já tenho isto há uns bons meses e dão-me a boa notícia de que só passará semanas após o parto. Yay!!

 

Para já, tenho-me sentido bastante bem. A gravidez não está a ser nada má para mim, não fossem as maldades da progesterona. As outras hormonas são muito boazinhas para mim. Começo a acusar algum cansaço físico, custa-me a subir escadas e, ao fim do dia, falta-me a energia. Também ando mais activa porque ando super entretida a arranjar o meu ninho.

 

Espero que a entrada nas 30 semanas seja calma, como tem sido até agora.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:46

Cheguei agora da minha consulta das 28 semanas, já a caminho das 29.

 

Perguntou-me como andava, se tinha desconfortos, ardor ao urinar. Falei-lhe que tenho tido contracções, apesar de serem daquelas sem dor, as Braxton-Hicks. Ele disse que até 3 ou 4 por dia seria normal. Eu não faço grandes esforços físicos e costumo ficar com a barriga mais dura, como se fosse uma cãibra, quando subo muitas escadas ou sento e levanto com frequência. Disse que deveria começar a tomar magnésio (Magnesona), juntamente com o Folicil. As tensões estava óptimas, como sempre estiveram. O teste de tolerância à glicose que fiz há duas semanas atrás também estava óptimo. Depois, fui para a balança para avaliar as desgraças deste último mês. Resultado: 70kg. Ele disse que tinha esperança que eu levasse o meu peso certinho, mas já está tudo fora dos carris. Bem, convém referir que ele usa como referência os 61kg do início da gravidez, quando eu emagraci 2kg. O meu peso normal é 63kg, logo engordei 7kg e não 9kg. Também não vou estar aqui a regatear 2kg. Um peso adequado é do meu interesse e não do médico ou do meu marido. Tenho que voltar à dieta equilibrada, mas custa tanto não ceder de vez em quando...

Depois, passámos à ecografia. E não é que a safada já deu a volta? Eu achei isto muito estranho porque sempre achei que fosse dar conta dela dar a volta. Pensava, mesmo, que pudesse doer. Afinal, é um bebé que a rodar sobre si mesmo dentro da minha barriga. De facto, notei que há mais ou menos duas semanas a minha barriga ficou mais pesada e maior. Pensei que fosse a criança que tivesse crescido. Mas foi mesmo a sensação de peso, por estar com a cabeça para baixo. Depois, duplamente safada, voltou a virar-nos o rabo. Estava completamente de costas. Vi-lhe o pescocito e uma orelhinha. Ele lá andou a medir a cabecita e diz que está com um tamanho normal para a idade. Também tinha líquido amniótico suficiente e, pronto, está tudo bem.

De volta à mesa, perguntei-lhe como seria o parto, tendo em conta o meu historial recorrente de hemorróidas. Ele garantiu-me que, em princípio, esse não seria um motivo para uma cesariana. Às 34 semanas, temos que fazer uma análise do meu útero, dos ossos pélvicos, do sangue e tudo isso determinará que tipo de parto será o mais indicado. Garantiu-me que já não há partos com dor, que um parto vaginal só de enfermeira é sempre o mais desejável, porque é sinal que não houve necessidade da intervenção médica.

Saí de lá cheia de medo do parto. Saber que a criança já está orientada para sair, dá-me uma sensação de que ela pode querer nascer a qualquer altura. O médico disse que os bebés podem querer sair em qualquer posição. Estar de cabeça para baixo não acelera partos. Adoro desfazer estes mitos da minha cabeça, mas confesso que não estou totalmente convencida.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

28 semanas

18.02.14

Esta semana tenho andado mais cansada do que o habitual, daí o atraso deste post. Já cheguei às 28 semanas no Domingo, mas estava sem energia para escrever. Enquanto procurava informação sobre as 28 semanas, vi algo como 'já só faltam 84 dias'. Só??? Ainda falta uma eternidade e agora, sim, sinto-me uma verdadeira grávida - cansada, lenta, esquecida...

Apesar da bebé já pesar um pouco mais de 1 kg e quase 40 cm (em média), ainda não sinto muito peso na barriga. O mais estranho é quando ando na rua e olho para a minha barriga e não tenho noção do seu tamanho. Parece que estou a usar uma barriga falsa. No entanto, a bebé continua a engordar e é provável que daqui a pouco tempo comece a sentir o seu peso.

O mais interessante desta semana é que a bebé já consegue abrir e fechar os olhos e tem pestanas.

 

Isto eu não vou contar ao pai para não lhe afectar a masculinidade... :) O pai também sofre alterações hormonais, como a redução dos níveis de testosterona e o aumento dos níveis de estrogénios, e isto tudo devido à necessidade de cuidar do bebé.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:05

Pelo que percebi, não há um consenso sobre o qual o número de meses a que corresponde o número de semanas. Vi algures que o 7º mês vai das 27 às 30 semanas e, para mim é suficiente. Faz-me pensar que falta pouco tempo para a bebé nascer.

 

Às 27 semanas, o cérebro do bebé está muito activo. Os sulcos característicos da superfície cerebral começam a aparecer e mais tecido cerebral se desenvolve.

 

Aqueles movimentos ritmados que sentimos, são certamente soluços, comuns esta semana e ao longo de toda a gravidez. O bebé soluça mesmo respirando líquido amniótico, e não ar. As crises de soluço não costumam durar muito tempo, e a sensação pode ser estranha, mas é mais engraçada do que desagradável. Pelo menos a mim não me incomoda.

MEDO!!! O útero já chega até à caixa torácica, o que explica alguma falta de ar que possamos sentir. Isto, sim, tira-me o ar! Como claustrofóbica que sou, primeiro tenho pena da catraia que está ali fechada num espaço cada vez mais pequeno para o seu tamanho, depois tenho pena de mim, que me sinto a esmagar por dentro. Explico melhor: ainda não sinto nada disso, mas a ideia de poder sentir isso, causa-me pânico. Os órgãos a comprimirem cada vez mais, a falta de ar... não percebo a beleza disto! A coisa boa disto tudo, é que o bebé está a engordar e a crescer. :)

Para ajudar à festa, agora também nos sentimos mais pesadas. No meu caso, que consegui manter alguma elegância até agora, acho que a partir de agpra é para esquecer. Sinto-me mesmo muito cansada, movimento-me mais lentamente, mas também não é nada que me incomode muito.

 

Esta também é a altura de começarmos a sentir outros incómodos: cãimbras nas pernas, varizes, hemorróidas e comichão na barriga. Ora, ainda bem que tocamos nestes assuntos:

- Cãimbras não sinto muito, mas já senti. Nada de especial, basta movimentar-me um pouco e passa. Tenho que reforçar a dose de bananas cá em casa.

- As varizes ainda não apareceram e espero que não apareçam. Quem tem diz que não é muito agradável...
- As outras varizes, situadas noutro sítio, as malogradas hemorróidas estão na altura de aparecerem. Tendo em conta que as minhas já apareceram há um mês, já levo um avanço considerável. Não quero imaginar como é que isto vai acabar. Não quero imaginar... Aliás, imaginem agora essas varizes noutro sítio, igualmente constrangedor. Sim, na coisinha mesmo. Esta semana, uma amiga disse-me que teve, mas que passou. Não me descreveu a experiência, talvez para não me assustar. Mas passa, pessoal. Toca a animar.

- A comichão na barriga já apareceu há algum tempo. Nada que umas festinhas discretas na barriga não aliviem. Não é nada de especial. Já ouvi relatos absolutamente pavorosos de pessoas que têm que andar sempre com creme na carteira para quando dá uma crise de comichão.

- Devo acrescentar que sinto, também, umas contracçõezitas (chamadas de Braxton-Hicks). Na prática, a barriga fica muito dura durante uns longos segundos e depois passa. Não dói, mas também não é engraçado. Pelo que pude apurar, é o corpo a preparar-se para o parto. Estas não são as contracções perigosas. De qualquer forma, convém não arriscar e falem com o vosso médico.


Para as mamãs que têm sangue Rh-negativo, o vosso médico deve indicar nesta altura um exame para detectar anticorpos anti-Rh, também chamados de anti-D, e aplicar uma injeção para combater a incompatibilidade e evitar problemas com o bebé. Talvez o médico indique a repetição da injeção com 36 semanas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:51

26 semanas

03.02.14

Cheguei às 26 semanas. Começo a dizê-lo com cada vez menos entusiasmo e mais cansaço. Só me apetecia fazer um fast forward para as 36 semanas!

 

Então, como é que anda a minha princesa cá por dentro? Pelos vistos, a audição está a ficar cada vez melhor. Já pode ouvir o papá e a mamã a conversar. Temos que ter cuidado com as conversas. :)

Há uma coisa que me causa alguma estranheza que é estar a engolir o líquido amniótico. Isso é determinante para o desenvolvimento dos pulmões. Portanto, agora é um peixinho. Deve ser tão difícil de repente começar a respirar ar....

Esta menina já deve estar a pesar mais de 1kg, porque o peso já me incomoda. E sempre pensei que sentisse mais o peso da barriga na parte exterior, mas o pior é mesmo por dentro.

 

Esta semana vou, também, fazer o Teste de Tolerância à Glicose. Vou passar a manhã toda no hospital, pois não é coisa para ser rápida. Depois conto com detalhe.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:53

 

Que diferença! Até eu estou maravilhada com o milagre da Natureza!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:35


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D