Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Muitas pessoas me perguntam por que falo tantas vezes em limões e porque os consumo tanto. Na verdade, até acho que podia ingerir mais limões, mas vamos sempre a tempo de melhorar isso.

Tudo no limão traz benefício: o sumo, a parte branca e a casca. E, por isso, ele é tão perfeito.

Limao.jpg

Eis alguns dos seus benefícios:

Limpeza intestinal: O sabor amargo do limão potencia os movimentos peristálticos – movimentos de contracção e relaxação dos intestinos – ajudando a eliminar resíduos e a regular o trânsito intestinal. Por isso, eu bebo sempre um copo de água morna com sumo de um limão todas as manhãs em jejum e já o fazia antes e, sobretudo, durante a gravidez. Espremo meio limão para um copo e já está.

Cancro: Os limões contêm 22 componentes anti-cancerígenos, incluindo limoneno, um óleo natural que reduz ou interrompe o crescimento de tumores cancerígenos. Contêm também uma substância chamada flavonol glicosídeos que interrompe a divisão das células cancerosas.

Constipações e Gripes: Os limões são ricos em vitaminas e flavonóides que funcionam em conjunto para combater eficazmente infecções.

Fígado: Sumo de limão fresco adicionado a um copo de água pela manhã desintoxica o fígado.

Nutrição: Os limões contêm vitamina C, ácido cítrico, flavonóides, vitaminas complexo B, cálcio, cobre, ferro, magnésio, fósforo, potássio e fibra.

Equilíbrio do metabolismo: A componente ácida dos limões interage com o metabolismo produzindo um efeito alcalinizante nos fluidos corporais, ajudando a restabelecer o equilíbrio do pH do organismo.

Alergias: Os limões contêm o fitonutriente  hesperedina que comprovadamente alivia de forma eficaz os sintomas alérgicos.

Distúrbios no cérebro e sistema nervoso: A tangeretina contida na casca do limão tem demonstrado benefícios em distúrbios cerebrais como a doença de Parkinson.

Distúrbios de visão: A rutina, encontrada nos limões, tem sido apontada em investigações como responsável pela melhoria de sintomas de doenças dos olhos, incluindo retinopatia diabética.

Anti-Viral: Para além de ser eficaz contra as gripes e constipações, o terpeno limonóides contido nos limões tem feitos antivirais comprovados em outros tipos de vírus.

Diabetes: Para além de melhorar problemas de visão associados a diabetes, os limões contêm hesperedina que reduz consideravelmente os níveis de açúcar no sangue, quando elevados.

Vesícula biliar e pedras nos rins: O ácido cítrico contido no limão ajuda a dissolver cálculos biliares, depósitos de cálcio e pedras nos rins.

Anti-envelhecimento: A vitamina C contida nos limões ajuda a neutralizar os radicais livres relacionados com o envelhecimento e outros tipos de doenças.

Eu bebo o sumo de meio limão de em jejum e, ao jantar, eu e o meu marido partilhamos um jarro de limonada feita na bimby. A grande vantagem é que esta limonada usa todo o limão. Tudo é triturado e, juntamente com a água e um pouco de açúcar, temos uma limonada poderosíssima. 

fotografia 1.JPG

 

Para quem não pode fazer esta limonada com todo o limão, se tomar apenas o sumo do limão em jejum, já terá imensos benefícios:

Ajuda a digestão.  O sumo de limão elimina matérias indesejáveis e toxinas. A sua composição atómica é semelhante à da saliva e à dos fluidos digestivos.  Encoraja o fígado a produzir bílis que é um ácido essencial à digestão. Os limões são também ricos em minerais e vitaminas que ajudam a soltar toxinas do tracto digestivo. As propriedades digestivas do sumo de limão aliviam sintomas de indigestão como azia, arrotos e flatulência. A American Cancer Society recomenda sumo de limão morno para estimular movimentos do intestino.

Purifica o organismo, é diurético.  O sumo de limão ajuda a eliminar matérias indesejáveis e toxinas, em parte porque aumenta a taxa de urina no corpo. Desta forma, as toxinas são libertadas mais rapidamente, mantendo o tracto urinário saudável. O ácido cítrico dos limões ajuda a maximizar a função das enzimas,  estimulando o fígado e ajudando a desintoxicação.

Fortalece o sistema imunitário.  Os limões são ricos em vitamina C que é óptima para afastar constipações. São ricos em potássio, que estimula o cérebro e o sistema nervoso, bem como regula a tensão arterial. O ácido ascórbico, presente nos limões, tem efeitos anti-inflamatórios e é usado em casos de asma e outras condições respiratórias, uma vez que aumenta a absorção de ferro pelo organismo. O ferro tem um papel importante no sistema imunitário. Os limões contem também saponinas com propriedades anti-microbianas que combatem constipações e gripes.

Equilibra os níveis de PH. Os limões são uns dos alimentos com mais propriedades alcalinas. Claro que são ácidos por si, mas no organismo são alcalinos (o ácido cítrico não cria acidez quando metabolizado). Os limões contêm ácidos cítrico e ascórbico, ambos facilmente metabolizados, permitindo que os componentes minerais melhorem os níveis alcalinos do organismo. A doença ocorre apenas quando quando o PH está ácido. Beber limão com água regularmente ajuda a remover a acidez do corpo, incluindo o ácido úrico nas juntas, uma das principais causas de dores e inflamações.

Para saberem se têm um organismo ácido ou alcalino podem medi-lo com umas tiras que se mergulham na nossa urina.

Limpa a pele. A vitamina C e outros anti-oxidantes diminuem as rugas e manchas e ajudam a combater os danos dos radicais livres. A vitamina C é vital para a luminosidade da pele, ao mesmo tempo que a sua natureza alcalina mata alguns tipos de bactérias que causam acne. Pode até ser aplicado directamente em cicatrizes ou em sinais para melhorar o aspecto. Uma vez que o sumo de limão elimina toxinas do sangue, ajuda a prevenir manchas de dentro para fora.  A vitamina C do limão rejuvenesce a pele a partir do corpo. 

Energiza  e melhora o humor. A energia que o corpo humano recebe dos alimentos vem dos átomos e moléculas. Dá-se uma reacção quando a carga positiva dos iões dos alimentos interage com a carga negativa das enzimas. O limão é um dos poucos alimentos que contem mais iões com carga negativa, proporcionando ao organismo mais energia quando entra no tracto digestivo. O cheiro do limão ajuda a clarificar a mente, reduz a ansiedade e depressão. 

Promove a cura.  O ácido ascórbico, abundante nos limões, promove a cura de ferimentos e é essencial para manter os ossos, tecidos e cartilagens saudáveis. A vitamina C tem também propriedades anti-inflamatórias o que em conjunto torna o limão essencial para a boa saúde e recuperação de stress e ferimentos.

Refresca o hálito. Para além de refrescar o hálito, o limão é conhecido por aliviar as dores de dentes e gengivas. Atenção que o ácido cítrico pode causar erosão no esmalte dos dentes.  

Hidrata o sistema linfático. A água morna com sumo de limão ajudam o sistema imunitário, hidratando e repondo fluidos no corpo. Quando o corpo está carente de água, consegue sentir os efeitos colaterais que incluem cansaço, menor resistência à doença, prisão de ventre, falta de energia, baixa/alta tensão, falta de sono, falta de clareza mental, stress e outros.

Ajuda a perder peso. Os limões são ricos em fibra pectina que ajuda a combater os desejos por comida. Estudos revelam que pessoas que tem uma dieta alcalina, perdem peso mais rapidamente. Se começar o dia a tomar sumo de limão com água morna é mais provável que passe o resto do dia a fazer escolhas igualmente saudáveis.

Para além disto tudo, também dou uso ao limão depois de espremido o seu sumo. Coloco as metades do limão na máquina de lavar loiça e tudo fica com um cheirinho óptimo. Pode poupar-se uns tostões no ambientador.

fotografia 2.JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:07

Eu faltei a muitas aulas de preparação para o parto. Fui com muito entusiasmo, mas depois achei que havia algum fundamentalismo relativamente a alguns tópicos. Não gosto disso. Como eu trabalhei sempre muito até ao fim, chegava ao fim do dia sem grande vontade de ir ouvir muita coisa que eu já sabia. Então, ficava a descansar no sofá. Claro que isso fez com que eu não aprendesse muitas coisas que eu não sabia. Um dos vários tópicos que eu perdi foi o da amamentação.

 

Para mim era, garantido que eu ia amamentar. Fui amamentada até aos 22 meses e só tinha boas referências da amamentação. Sempre pensei que fosse uma coisa absolutamente natural. O leite saía, o bebé mamava, eu ficava magra e o bebé crescia forte e saudável. Sempre achei que amamentar ou não amamentar era uma questão de escolha. Umas, mulheres más e egoístas que não queriam estragar o peito e preferiam manter a sua independência, escolhiam dar leite adaptado. As outras, mulheres decentes que amam os seus filhos, amamentavam.

 

Quando a minha filha nasceu, às 36 semanas, de parto provocado por um médico incompetente numa consulta de rotina, foi imediatamente colocada no meu peito, para aquecer e para mamar. A pobrezinha não mamou porque não saía nada e deram-lhe um leitinho num copinho. E eu continuava sem leite e ao longo dessa noite, veio a enfermeira com o leitinho no biberão. No dia seguinte, o leite não desceu, nem subiu, nem sinais dele. Puseram-me numa bomba de extração e nada. E todos me diziam que não havia qualquer problema, que o que não tinha remédio remediado estava, que o leitinho adpatado era muito bom, etc., etc.

 

4 dias depois da minha filha nascer, acordei com o pijama todo molhado. Tinha leite! Tratei de a pôr na mama, mas ela não queria. Chorava muito porque queria comer comidinha em abundância. Era muito sôfrega a mamar e na minha maminha não conseguia retirar nada. Arranjaram-me uma bomba e mamilos de silicone. Os últimos nunca resultaram. Passei a retirar o meu leite com a bomba e dava tudo o que podia à minha filha. Passava o dia naquilo e anotava tudo. Só mesmo quando nao tinha é que dava leite adaptado. Ia pondo na maminha, mas o desespero dela pelo biberão não me deixava insistir. Não conseguia vê-la a chorar com fome.

 

Se, no início, dava apenas 1 dose de leite adaptado por dia, rapidamente isso mudou. A quantidade que produzia não chegava para as suas necessidades. Então, era uma luta por mais uma gotinha que eu pudesse tirar. E eu andava de rastos. Quando só produzia 20 ml por dia, deliberadamente deixei de extrair leite. Já não aguentava mais.

 

O que correu, então, mal? Por que não conseguia eu amamentar normalmente?

Para mim, foi a combinação de vários factores:

 

1 - Cansaço e stress.

Sempre li que as pessoas deviam ir ter filhos e não dizer nada a ninguém para não terem visitas. Que atrapalham mais do que ajudam. Eu estava preparada para ganhar alguns inimigos e mandar as pessoas embora, mas a verdade é que eu me sentia bem. Estava super fresca. Parecia que nem tinha tido um filho. Tive o quarto do hospital sempre cheio de pessoas e raramente dormia entre os cuidados à minha filha. Na altura, nem sequer senti essa necessidade. Devia ser a adrenalina ou as hormonas. Vim para casa e a romaria continuou. De dia, eram as visitas, à noite eram as fraldas e o leite. Dormir que é bom, não acontecia. O marido ajudava, mas pouco. Ora estava a dar de mamar e a mudar fraldas, ora estava a tirar leite com a bomba. Estava exausta, angustiada por não conseguir amamentar e stressada com muitas outras coisas.

 

2 - Má alimentação.

A alimentação cuidada que tive durante a gravidez simplesmente desapareceu. Eu chegava a passar dias inteiros sem comer. Se alguém me trouxesse comida, eu comia, caso contrário metia umas bolachas à boca de vez em quando, mandávamos vir (má) comida de fora... Era o caos. O marido não cozinha, eu não tinha tempo, logo não me alimentava. Foi muito, muito mau. E só bebia quando tirava leite com a bomba. Dava-me uma sede inacreditável. Continuo a não me alimentar convenientemente, felizmente já ninguém sofre com isso, a não ser eu.

 

3 - O biberão.

Apesar da minha filha ter nascido antes do seu tempo, tinha bons reflexos de sucção. Mamar não era problema. Até mamava muito bem. Era, e ainda é, muito sôfrega. O biberão é o ideal para ela. A minha maminha não lhe dava o que ela queria, na quantidade que queria, então eu fui fraca e cedi à sua vontade.

 

4 - A culpa.

Como eu me sentia muito culpada por não conseguir amamentar, à minha volta tentavam desvalorizar. Não deviam. Eu devia ter-me munido de ajudas (sobretudo para evitar os problemas referidos acima) e devia ter vivido para alimentar adequadamente a minha filha. Fui pressionada para regressar ao trabalho e fi-lo ao fim de 1 mês e meio. Quem é que aguenta? Eu não aguentei.

 

5 - A ajuda técnica.

Pouco tempo depois da minha filha nascer, procurei a enfermeira das aulas de preparação para o parto. Só tinha 2 dias disponíveis e só de manhã. Num deles era melhor não ir porque ia estar a tratar de papelada, por isso podia ir no outro entre as x e as x horas. Eu andava exausta e não fui. E pronto. Ainda pedi ajuda num grupo de amamentação. Uma pessoa disponibilizou-se para me ajudar, mas também era por telefone. E eu sem tempo. Esqueci a ajuda técnica. Tudo aquilo que referi para trás não ia mudar. Como é que eu ia conseguir amamentar, se eu estava sozinha nessa luta e eu própria com pouca vontade de lutar?

 

Desisti.

 

Eu não sabia, mas agora já sei. Se eu tiver a coragem de dar um irmão a esta filha que tanto amo, há erros que não vou cometer. Sobretudo, quem vai comandar as coisas vou ser eu. Eu preciso de fazer apenas o que eu quero e não o que me dizem para fazer. Acabaram-se os palpites e imposições. Não me vou importar de ser a má da fita, porque há algo que se sobrepõe a isto tudo. Vou criar todas as condições para amamentar e vou fazê-lo.

 

Ainda consegui tirar uma foto e fazer um pequeno vídeo da minha filha a ser amamentada por mim. Não imaginam a quantidade de vezes que os vejo. Sei que não fiz tudo o que devia, mas fiz o máximo que as minhas forças permitiram. O vínculo que se estabelece durante a amamentação e ao qual eu não tive acesso, estou a tentar estabelecê-lo estando sempre com a minha filha. Quero ser eu a fazer-lhe tudo e quero aprender tudo por ela. Está linda e saudável, mas a culpa de não lhe poder dar o melhor seguro de saúde que há ninguém ma tira.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:36

Devido ao meu problema de obstipação, e respectivo danos colaterais, tenho que ter muito cuidadinho com o que como. É importantíssimo que o meu intestino funcione todos os dias.

 

Na sexta-feira, à 1 da manhã, comi um cachorro quente, daqueles com batata frita palha. Pronto, no dia seguinte já não fui à casa de banho. Mesmo tendo feito toda a alimentação certinha. Não posso mesmo abusar.

 

Então, o meu pequeno-almoço tem que ser sempre à volta disto:

 

- 1 copo de água morna com limão;

- Leite de arroz com cereais integrais. Não posso beber leite de vaca porque me desregula toda e dificulta a minha digestão. Opto sempre por leite de aveia ou de arroz. Não têm o saborzinho do leite de vaca, mas dá para beber com cereais, café e chocolate. Depois, é muito importante a escolha dos cereais. Eu gosto mesmo é daqueles açucarados: Chocapic, Cheerios, Estrelitas. Mas estes estão absolutamente proibidos. Então, faço uma mistura de cereais de fibra e uns mais adocicados, mas também integrais. Não fica tão pesado, mas a dose de fibra está lá.

- 2 kiwis pequenos ou 1 grande. Nunca posso abdicar dos kiwis. Ou os como ao natural ou com iogurte. Como já bebi o leite, adbiquei do iogurte.

 

 Com esta receita, nada pode falhar. Resulta sempre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:35


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D