Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Meti-me na maior aventura da minha vida. Não estou nada arrependida. Pensava que seria mais fácil; sabia que ia ser bom, mas é melhor ainda. Nem sei bem quando é que me tornei mãe. O dia em que descobri que estava grávida foi importante, senti-me imediatamente responsável por aquele bebé que o teste de gravidez me dizia que eu tinha na barriga. Havia opções mais saudáveis a fazer. Mas não foi aí. Acho que me senti a mãe do meu bebé quando ela comunicou comigo pela primeira vez. Fez-me uma festinha na barriga e, a partir desse momento, ela era a minha filha. Foi às 18 semanas de gravidez. Nunca gostei muito de estar grávida, mas adorava carregar a minha filha na barriga. Lembro-me de dizer, a determinada altura, que queria muito puxar a barriga até ao peito para poder abraçar a minha menina melhor. Esse dia chegou. Foi há quase um ano... Passamos tantos dias a querer segurar nos braços o nosso amado bebé e, eis que ele chega, e não sabemos o que fazer com ele. Eu sentia medo, um respeito por aquele ser que foi intimado a nascer. A minha principal preocupação era não a perturbar. Queria causar o mínimo incómodo possível. Se no início o colinho era para a princesa, logo logo percebi que era paliativo para mãe e filha. Sou 100% a favor do colo. Gosto e preciso desse contacto físico com a minha menina. Ela esteve 8 meses num ninho protector, ouvia a minha voz, sentia o meu coração a bater, conhecia os meus movimentos. Só acho natural prolongar esse ninho e tentar reproduzi-lo o mais tempo possível. Estou com a minha filha ao colo sempre que podemos. Ela agora está mais interessada em percorrer o chão da casa e andar agarrada a tudo, mas se a apanho com soninho vem logo para o colinho. Devo ter passado longas horas a carregar a minha filhota. 1 mês e meio depois dela nascer, recomecei o trabalho. Quantas chamadas de Skype eu fiz com ela ao colo! Quantas vezes lhe dei de mamar enquanto falava para o outro lado do mundo! Quantas horas passei eu a trabalhar só com uma mão... No outro braço estava o meu amor. Só assim fazia sentido para mim. Resultado: tenho dores fortíssimas nas costas e nos pulsos. Mas vale a pena porque precisamos de estar juntas. Enquanto tive o berço Next to me, da Chicco, ela estava mesmo ao meu lado na cama e era um prolongamento da minha cama. Estávamos coladinhas. Agora, está na cama de grades, mas continua ao meu lado. Contra a opinião da pediatra, mantive-a no meu quarto e só passará para o seu quando eu achar que é altura. Ainda não acho. De vez em quando (quase todos os dias), vem para a nossa cama e adora. Dormir com a minha pequenina não me causa qualquer problema. Ela gosta, eu gosto, o pai reclama, mas também gosta. Estamos juntos e ela está feliz, e isso é que me importa. Chuvas e chuvas de beijos. Estou constantemente a beijar a minha filhota. E ela já reclama. Já percebeu que é completamente exagerado. Não quero saber. Quem manda sou eu, e ela tem é que aguentar com os milhares de beijos que lhe dou. Sou daquelas mães que deixam tudo para traz para cuidarem dos filhos. Quando digo tudo, é tudo mesmo. Deixo o banho, o trabalho, os amigos, a minha alimentação. Nem me lembro. Não há qualquer sacrifício associado na hora. Claro que mais tarde, quando me apercebo do que faço, sinto no corpo a falta de disciplina que tenho. Adorava ser daquele tipo de mães que andam todas impecáveis, bem arranjadas, que seguem uma alimentação cuidada, têm tempo para si, para os amigos e para o bebé (?), que têm a casa arrumada e o bebé perfeito. Eu não consigo! Por aqui, reina o caos. Eu não como, não durmo, não saio de casa, não me arranjo. Há brinquedos espalhados por todo o lado, roupa que não foi arrumada, tenho restos de comida na roupa... Mas a princesa está sempre bem, bem alimentada, confortável, feliz, sempre em primeiro lugar. Tudo por ela! Estou a tentar melhorar a minha organização pessoal, mas não prometo nada. Este ano tem sido um carrossel de emoções, de falta de descanso.... Não o trocava por nada deste mundo, mas admito que podia ter tido este ano há mais tempo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:54


2 comentários

Imagem de perfil

De Life Inc a 15.04.2015 às 09:55

Tão bom :)

xoxo
cindy
Sem imagem de perfil

De Chicco a 04.06.2015 às 23:51

Eu adoro tudo o que é da Chicco e também comprei o berço Next to Me da marca e estou muito satisfeita. Encomendei-o numa loja on-line onde costumo comprar várias coisas para o bebé, a Eurekakids (chicco (http://www.eurekakids.pt/bebe/chicco). Não sei se conheces. Também adorei tê-lo ali "coladinho" a mim. Agora também já está na cama de grades no seu quartinho, mas, normalmente muito cedo de manhã e chora para vir para a nossa cama. Eu lá vou buscá-lo para aproveitar aquela horita agarradinha a ele. É a melhor forma de começar o dia!

Celeste

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D