Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A parentalidade é tentar fazer algo que nunca ninguém soube fazer bem, diz Sadhguru. Mesmo aqueles que têm 12 filhos estão sempre a aprender. Podem criar bem os primeiros 11, mas o 12º pode ser o cabo dos trabalhos. Sadhguru dá-nos dicas essenciais para criarmos bem os nossos filhos.

 

  1. Criar a atmosfera certa 

Saber criar a atmosfera necessária pode ser o maior desafio. Alegria, carinho, amor, disciplina, responsabilidade, tanto em nós, como em casa. Se dermos amor e apoio aos nossos filhos, a inteligência deles vai florescer naturalmente. Lembrem-se, os nossos filhos não têm que seguir os nossos passos na vida. Eles devem fazer coisas que nós nem sequer tivemos a ousadia de pensar. Só assim haverá progresso. Eles devem estar um passo à nossa frente, com mais alegria, menos medo, menos preconceito, menos constrangimentos, menos ódio, menos miséria. Esforcemo-nos para deixar seres humanos melhores do que nós no mundo, em vez de putos mimados.

 

  1. Conhecer as necessidades dos filhos

Muitos pais têm tantas aspirações e ambições para os seus filhos que os sujeitam a demasiado sofrimento e dificuldades. Querem que os filhos sejam aquilo que eles não foram, querem realizar as suas ambições através dos seus filhos e isso é extremamente cruel. Outros, por outro lado, dão tanto aos seus filhos que os tornam inúteis e incapazes. Há uma fábula que ilustra isto muito bem.

Um dia, um yogi viu um casulo ligeiramente rachado e a borboleta no seu interior lutava para sair do casulo, que era muito rijo. O yogi viu isto e, com toda a sua compaixão, abriu o casulo para que a borboleta pudesse sair. Quando saiu, a borboleta não conseguia voar. Era essa luta para sair do casulo que permitia à borboleta fazer uso das suas asas e voar. De que serve uma borboleta se não conseguir voar? Muitas pessoas, naquilo que acham que é o seu amor pelos seus filhos, tornam os seus filhos borboletas que não conseguem voar.

 

Não há uma regra para as necessidades de uma criança. Cada criança é diferente e não devemos estabelecer comparações. Cada uma precisa de uma dose diferente de atenção, de amor, de disciplina. Resta-nos conhecer as necessidades dos nossos filhos.

 

  1. Aprender com os filhos

Muitos pais acham que se tornam professores assim que um filho nasce. Na verdade, é exactamente o oposto. Quando nasce um bebé, chega a hora de aprender. A única coisa que temos que ensinar a um filho é a sobreviver porque viver já ele sabe. Um aduldo já passou por vários tipos de sofrimento, a criança não, ainda não tem influências. Por isso, só temos de aprender com eles e não ensinar.

 

  1. Deixar a criança ser

Pais verdadeiramente preocupados com os seus filhos devem criá-los de forma a que os seus filhos nunca precisem dos pais. O processo de amar deve ser sempre libertador e não opressor. Por isso, quando um bebé nasce, devemos deixá-lo olhar à sua volta, passar tempo na natureza, passar tempo sozinho. Não devemos impor as nossas ideias, religião ou moralismos. Temos que permitir que cresça, que a sua inteligência floresça, que olhe a vida através dos seus olhos e não através da sua família ou da sua riqueza. Os pais devem ajudá-lo a aprender por si próprio, a usar a sua inteligência para ver o que é melhor para si.

 

  1. Ser alegre e estar em paz

Para criarmos bem uma criança, a primeira coisa a fazer é ser feliz. E nós bem sabemos como é difícil ser-se feliz nos dias de hoje, com tanta tensão, raiva, medo, ansiedade, inveja... O que é que eles vão aprender? Quem quer mesmo educar bem uma criança deve tornar-se numa pessoa querida, alegre e em paz. Quem conseguir executar esta mudança em si próprio, conseguirá ser bem-sucedido a educar uma criança.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:57



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D