Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A minha princesinha nasceu há 16 meses e, desde então, nunca mais dormi em condições. Aliás, isto começou antes dela nascer, com as idas nocturnas à casa de banho para fazer xixi. Sei que não era muito complicado, comparado com outras mães, visto que no final só ia 2 ou 3 vezes. No entanto, era o suficiente para me interromper o sono. Logo eu que sempre adorei dormir e fazia questão de dormir muito. Deve ser um problema comum a muitas mães. A minha filha acorda 2 a 3 vezes por noite. E faz 3 sestas por dia. Agora que aprendeu a chorar para me chamar, usa essa arma descaradamente. Adormece entre as 21:30 e as 23:00. A partir da 1 da manhã começa o espectáculo. Ela chora. Aguardo uns 10 segundos para ver se é um sonho ou é a sério. Eu acho sempre que é a sério. Continua a chorar e intensifica o choro. Faço-lhe umas festinhas com ela ainda deitada. Não resulta. Pego nela e embalo-a. Não resulta. Chupeta. Não resulta. Dou-lhe água. Cala-se logo e costuma regressar ao sono. Passado 1 ou 2 horas, volta o choro. Festinhas. Colinho. Chupeta. Água. Já só se cala com o leite. Mas cala-se, é certo. E volta a dormir. Pode voltar a acordar e bebe mais um pouco de leite ou água. Com tanto líquido que ingere, a fralda fica muito cheia. Toca a mudar fraldas durante a noite, sempre com ela já a dormir e às escuras. Desenvolvi uma técnica especial. Entretanto amanhece, acorda super bem-disposta e cheia de energia. E eu... Podem imaginar... Ao fim de 16 meses nisto, tenho mesmo que tomar medidas rápidas. Eu não me importava de continuar sem dormir se não tivesse um trabalho diário muito exigente. Mesmo assim, quem não trabalha fora de casa também precisa de dormir, não? Eu preciso de dormir, preciso de ir ao ginásio, preciso de andar bem para cuidar da minha filhota. Dei início a uma guerra contra o mau sono! Aqueles programas de 10 dias e 5 dias que se vêem por aí, até com livros editados, assustam-me muito! Não quero mesmo ir por aí. Como é que um programa pode ser eficaz em bebés diferentes. Só mesmo à força. Vou fazer como sempre fiz e ver o que a minha filha me está a tentar dizer. Talvez esta até nem seja a melhor altura para o tentar porque estamos em casa da minha mãe e as rotinas são um pouco diferentes. Mas a mãe e a filha são as mesmas, por isso, vamos a isso! Comecei hoje! A noite passada, a Mia adormeceu por volta das 22:30. Tem sido muito difícil adormecê-la. Primeiro no colo, agita-se muito, depois na cama é o mesmo, até que adormece. Ou seja, o que eu acho que ela nos quer dizer é que a estamos a forçar a dormir antes do tempo. Mesmo estando ela a dar sinais de sono há algum tempo, não devíamos acelerar esse processo. Depois, acordou às 2, às 3 e às 6 da manhã. Dormiu até às 10 da manhã, o que não é nada habitual. Tem acordado entre as 8 e as 9. Como acordou mais tarde, tentei entretê-la o mais possível para evitar a sesta da manhã. Não mostrou sinais de sono. Em vez de almoçar à 1 como é habitual, antecipou-se a refeição para o meio-dia. Correu tudo muito bem. Não estava cansada, nem apresentou sinais impaciência. Antes das 2 da tarde já estava a fazer a sua sesta. Sempre pensei que fosse dormir umas 2 horas. Meia hora mais tarde choramingou, mas com umas festinhas regressou ao sono. Acordou em definitivo 1h15m depois de ter adormecido. Lanchou e esteve muito bem todo o dia. Num dia normal teria dormido a sua terceira sesta por volta das 6, antes do jantar. Hoje, não dormiu a primeira sesta, nem a terceira. Não me mostrou que tinha sono, logo não foi dormir. Muitas vezes, admito, dá-nos jeito que os bebés durmam para que nós possamos também descansar um pouco, ou fazer qualquer coisa em casa, mas não pode ser. Jantou muito bem às 19:15 e brincou bastante depois do jantar. Escolhemos brincadeiras mais relaxantes, com livros, e o sono chegou às 22:15. Foi muito rápido. Ou seja, não foi preciso embalar e passear e choros e gritos. Enquanto escrevo este texto, ela dorme. Já choramingou um pouco e fui dar com ela virada ao contrário na cama. Coloquei-a novamente com a cabeça para cima, dei-lhe uma chupeta e ficou bem. Ora, ainda não é meia-noite e até estou com medo do que me espera. Gostava de confirmar a minha teoria. Eu acho que a minha filha até não dorme muito durante o dia, mas faz sestas a mais. A meia hora ou 45 minutos que dura cada sesta deveriam estar concentrados numa só. Aliás, foi isso que ela me transmitiu hoje. Fiz só o que ela pediu. Adorava poder acordar só amanhã de manhã e dizer que isto está a resultar. Amanhã saberemos. De qualquer forma, sei que estas coisas do sono demoram o seu tempo e não há soluções imediatas. Este é o método da Maria Victória. Não quero deixá-la a chorar durante a noite, nem com sede ou fome, ou com a fralda molhada só porque eu preciso de dormir. Preciso de dormir, é um facto, mas a minha filha está em primeiro lugar. Sempre. Isto vai ser feito ao seu ritmo. Boas noites para todos! Amanhã trago novidades.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:11



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D