Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Nos últimos dias tenho andado a sentir-me muito em baixo. Dias não, semanas. Lamento ter de vir para aqui aborrecer-vos, mas à minha volta já ninguém me atura.

Não tenho sono. Tenho muito sono. Tenho dores no fundo da barriga. Estou gorda. Não tenho nada para vestir. Tenho azia. Tenho fome. Tenho dificuldade em movimentar-me. Tenho sempre vontade de fazer xixi. Tenho imensas carências afectivas. Tenho medo do parto. Tenho medo de ser mãe. Sinto-me abandonada por todos porque ninguém me entende.

Sempre que começo a lamentar-me, só me dizem que já falta pouco. Já ando a ouvir isto desde o início da gravidez. É rápido o tanas! Há mulheres que adoram estar grávidas e o tempo deve passar depressa para elas. Para mim não. Apesar da gravidez não ser tão má como eu antecipava, também não é um estado agradável.

Eu queria ter feito um babyshower. Ninguém à minha volta mostrou grande disponibilidade para isso. Eu queria ter celebrado a minha gravidez, a chegada da minha bonequinha. Falei com as amigas e alguma família. Ninguém se disponibilizou para fazer nada. Foi mais do género "Se precisares de alguma coisa, diz." Claro que preciso de alguma coisa. Preciso de tudo. Sinto-me tão cansada que não me apetece organizar um evento todo sozinha. Daí serem as amigas a organizar estas coisas. Há mais de um mês atrás, procurei um espaço que organiza estas festas. Pois até aí fui esquecida. Ficaram de me contactar com os grafismos, cores, orçamento, etc. e nada. Acabei por desistir.

Cá em casa também não há grande entusiasmo com nada. O marido nunca tem tempo para mim. Para o arrastar para as compras ou tomada de decisões é uma luta. Não faz nada. Nem sequer me tira fotografias. Tive que ir sozinha a um estúdio de fotografia registar esta fase. Cá em casa, há iPhones, iPads, máquinas fotográfias. Só falta é tempo.

Para ajudar, a minha família não está por perto. Faria toda a diferença. Acho que só eles é que vêem esta gravidez do meu ponto de vista, onde também eu sou protagonista e não apenas a bebé. Lá porque amo a minha bebé, isso não significa que deixe de me amar a mim, não acham? Por outro lado, acho normal que a família do meu marido esteja mais focada na bebé. Na verdade, eu sou apenas o forno, não é verdade?

Há dias em que me sinto melhor. Ter de trabalhar a tempo inteiro também não ajuda. Mas ainda bem que trabalho, ou então já me tinha entregado à depressão. Para já, só penso em descansar o mais possível e restabelecer-me para receber a minha boneca na melhor forma possível.

Peço desculpa pelo lamento, mas tinha que falar. Tenho evitado vir para aqui falar neste estado, mas também é capaz de ser um efeito da gravidez. Por isso, acho que é legítimo falar de como eu me sinto.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:36


2 comentários

Imagem de perfil

De Joana a 09.04.2014 às 16:36

Olá Mara
Passei aqui através dos post do sapo e pelo titulo resolvi vir ver. Bem, a fase em que está não é propriamente maravilhosa, mas é isso mesmo "fases". A vida tem mesmo dessas coisas.
O cansaço, o peso da barriga e a ansiedade do parto fazem-nos andar nesse estado.
Tudo vai correr bem.
Imagem de perfil

De por Mara Moura Sampaio a 09.04.2014 às 23:29

Obrigada pelas palavras, Joana.
É bom saber que não estamos sozinhas. Felizmente, não me sinto sempre assim. Quero acreditar que isto passa quando tiver a minha princesa nos braços.
Um beijinho.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D