Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Pois é, mais de um mês depois da primeira aula do curso de preparação para o parto, regressei. Eu até já tinha decidido retomar as aulas, mas o cansaço não me tinha permitido. Depois de 8 horas de trabalho ao computador, a última coisa que me apetecia era ir para as aulas ao fim do dia. Só pensava em ir para a cama.

 

Na semana passada, a enfermeira ligou-me a perguntar da minha ausência, que não devia estar a ocupar uma vaga que podia estar a ser usada por outra pessoa. Senti-me super culpada, mas não acho que houvesse alguem à espera de entrar. De qualquer forma, o telefonema deu-me ânimo para regressar e ainda bem que o fiz.

 

Então, assim que cheguei (já atrasada, claro!), encontrei toda a gente à volta de uma cadeira. Lá, estava um moça que já tinha tido o seu bebé, entretanto. A mãe estava óptima, a bebé também. O parto tinha sido há 5 dias e ela estava na maior. Nunca imaginei que pudesse ser possível. Não foi cortada, só teve uma pequena laceração e levou 3 pontos. Estava lá a esclarecer algumas dúvidas sobre a amamentação. Aprendi que depois de mamar, deve limpar-se a boquinha dos bebés, assim como a língua e as gengivas com uma compressa húmida.

 

Depois, fomos para a nossa aula e a enfermeira falou-nos da massagem perineal e mostrou-nos este vídeo:

 

 

Esta massagem é importante pois prepara o períneo durante a gravidez, a fim de evitar episiotomia ou laceração no parto. É um método relativamente fácil e tranquilo e pode ser feito em casa pela própria grávida. O recomendável é iniciar com 34 semanas e fazer até o fim da gestação. Antes disso não. Se por acaso já passou das 34 semanas, pode começar já pois ainda pode ser muito útil. Esta massagem tem como objectivo alongar o tecido do períneo e torná-lo mais elástico para a passagem do bebé. Isso vai evitar a episiotomia ou alguma laceração natural. É possível o parto normal sem laceração do períneo. Para além disto, vai permitir-lhe conhecer melhor o seu corpo, adquirir uma maior consciência corporal e controlar essa musculatura durante o período expulsivo. Ou seja, esta é efectivamente uma preparação para a experiência do parto. A massagem deve ser feita a partir das 34 semanas, todos os dias, por 10 minutos.
Depois, fomos para os colchões fazer básculas da bacia. As básculas permitem que a mulher tome consciência da sua bacia, ajuda no período expulsivo ao tonificar os músculos abdominais, ajuda no posicionamento correcto do bebé ao orientá-lo para se encaixar no lugar correcto. Já todas faziam estes movimentos muito bem, mas também não achei nada estranho, dado que já fazia isto nas minhas aulas de Yoga e Pilates. Este vídeo pode ajudar a entender melhor:
Ainda deitadas nos colchões, fizemos uns exercícios de Esquemas de Erros, ou seja, aquilo que é comum fazer-se nos partos e está errado. Basicamente, pretende-se que aprendamos a fazer força em certa parte do corpo, mas mantendo o resto do corpo relaxado. Gastamos energia desnecessariamente, logo é um erro. O ideal é estarmos com o corpo todo relaxado.
Na próxima aula, vamos fazer uma visita ao hospital. Estou ansiosíssima!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:42



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D