Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




...

10.04.15

10940608_366142710223301_873302936825745367_n.jpg

 

Quem não se revê nesta imagem?

O comentário que me deitou mais abaixo veio cerca de 3 semanas depois de ter sido mãe. O meu marido insistiu imenso comigo para ir a um jantar de amigos (havia amigos que tinham vindo do estrangeiro). Eu debati-me, recusei, mas, por fim, aceitei e lá fui ao jantar. A minha filha ficou com os meus sogros, com o leitinho que eu tinha extraído com a bomba e mantivemo-nos sempre em contacto. Chega um casal se super-pais e lançam o comentário "Já consegues deixar a tua filha sozinha?" Fiquei logo furiosa comigo, por estar ali e não estar com a minha filha, zanguei-me com o meu marido por que ter convencido a estar ali. Aqueles pais são certamente melhores do que eu porque não deixaram a filha de 3 semanas com os pais. Será que são? Hoje sei que não.

Todas sabemos como as mulheres (e homens, já agora) podem ser crueis umas com as outras. Somo alvos de crítica, mas isso não nos impete de ir espetando umas alfinetadas, também. Acho que nos está no sangue. Falar mal dos braços gordos da outra, faz-nos sentir um pouco melhor com os nossos dentes feios.

No mundo da maternidade, as coisas não são melhores. Falar mal de uma mãe, torna-nos melhores mães. Falar mal dos filhos dos outros, eleva os nossos. Já pude perceber que as mães são autênticas feras e não se coibem de massacrar as outras que não seguem os mesmos preceitos. Basta ler os comentários que se fazem quando alguma mãe faz uma pergunta no facebook. De repende, ficamos todas especialistas no assunto, os nossos filhos são os maiores e as outras mães são umas falhadas. Mas, neste caso, houve uma mãe que pediu opiniões.

O mais insólito acontece quando não perguntamos nada a ninguém, estamos na nossa vidinha com o nosso filhote, e chegam as super-mães, sempre cheias de razão e de certezas. "Ah... o meu filho come muito bem. O teu não?", "O meu filho nunca fica doente. O teu está com uma cara esquisita...", "Dormes com o teu bebé? Isso é muito mau.", blá, blá, blá...

Tenho a certeza de que qualquer mãe, por mais segura e experiente que seja, já teve dúvidas, medos e ansiedades relacionadas com os seus filhos. Assusta-me que sejamos tão seguras quando são os filhos dos outros. Sobretudo, o que me assusta ainda mais, é a facilidade com que menosprezamos as outras mães. Não bastam as nossas inseguranças, e ainda vêm mais pessoas a fazerem-nos sentir menores, más mães. Acho que podemos ter conversas sobre filhos e maternidade sem nos magoarmos. Podemos partilhar experiências, usar algumas sugestões, ou não, aprender com os erros dos outros, ou esperar para errarmos com os nossos próprios erros.

Eu tento ter sempre cuidado com mães mais recentes do que eu. Imagino o quão assustadas não devem andar e não vale a pena deixá-las mais ansiosas com alguma asneira que possam estar a fazer. Vamos tentar ser todas mais solidárias e mais amiguinhas umas das outras. Quem fica a ganhar são os bebés. :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:13


1 comentário

Imagem de perfil

De marrocoseodestino a 10.04.2015 às 19:26

Tento ter cuidado para não magoar os outros com os meus comentário e olha que se fosse vingativa passava algumas horitas a mandar bocas para fazer algumas colegas sentirem-se mal. Sim, sim tenho algumas assim pró terrível, daquelas em que costumo dizer que só estão felizes com o mal dos outros. E claro que entendo o teu post. Já passaram muitos anos desde que a minha filha nasceu, mas recordo-me de alguns comentários menos agradáveis acerca de isto ou daquilo relacionado com a educação dela.
Paciência, muita paciência é o que temos de ter.
Bom fim de semana

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D