Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O primeiro susto

21.10.13

Ontem, vivi um susto que não estava à espera.

 

Acordei bem tarde, por ser domingo. Por volta da 1 da tarde, tomei o pequeno-almoço, como sempre faço ao acordar - muesli com iogurte. Umas 3 horas mais tarde, saí para ir ao supermercado e lanchei fora de casa - um lanche misto e uma meia-de-leite de cevada. Estava bem, sentia-me alimentada. No shopping, estava com um bocado de calor, mas nada de especial.

 

Fui fazer umas compras ao supermercado. Enquanto estávamos na fila, fui colocando as compras no tapete. A única coisa pesada que levantei foi um pacote com 6 garrafas de água de 1,5 litros, ou seja, 9 litros. Não é nada que não fizesse antes. Quando me baixei para buscar mais compras, senti uma tontura enorme, logo seguida de outra. Fique muito, muito aflita, porque as únicas vezes que senti isso, desmaiei efectivamente. Saí, sentei-me no exterior, acalmei-me um pouco e fui logo para casa, descansar.

 

Não sei qual o motivo das tonturas, mas aprendi algumas lições:

- Estava a sentir-me super confiante com esta gravidez. Não tinha enjoos, sentia-me bem. Achava que já não me ia acontecer nada por estar tão perto das 12 semanas. Estava errada. É certo que não estamos doentes, mas não devemos sempre ser cautelosas;

- Nunca, mas nunca estar mais do que 2 horas sem comer. Andar com uns snacks ou fruta sempre connosco. Evitar os picos de açuçar no sangue.

- Nunca estar em ambientes muito quentes;

- Nunca carregar pesos;

- Também li que o útero começa a pressionar o sistema vascular e isso pode fazer com que a tensão desça, provocando tonturas ou desmaios. Claro que isso não podemos controlar.

 

Tenho um marido que acha que gravidez não é doença. Concordo. Mas também não é uma situação normal, logo há comportamentos que têm de ser alterados. Tenho um marido que acha que estou sempre a comer, ameaçando-me de que vou ficar gorda como uma orca. Tenho um marido que diz que tenho que fazer tudo o que fazia antes. As renas também engravidam e lá andam a correr e a saltar nos bosques. O que fazer perante isto? Da minha parte, apesar de algumas destas críticas serem jocosas, vou continuar a proteger-me e ao meu bebé e a fazer aquilo que é aconselhado pelos médicos. A sensação de que vamos perder os sentidos é horrível e não quer voltar a passar por isso.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:45



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D