Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Queijo Quark

25.05.15

O queijo Quark foi a minha última descoberta e já estou fã. Por aqui, ainda não é muito conhecido, mas no norte da europa é muito popular, sobretudo entre praticantes de fitness e adeptos da vida saudável.

unnamed.jpg

Porque é que este queijo é bom? Tem imensa proteína, poucas calorias e pouca gordura. Se encontrarem com 0% de gordura, tanto melhor. Eu não sou muito fundamentalista com estas coisas.

 

Hoje, usei-no nuns ovos mexidos ao almoço. Tem um aspecto esquisito, mas soube-me bem.

 

- 3 claras e 1 ovo inteiro

- 1 lata de atum

- 1 dose de espinafres congelados (descongelar antes)

- 2 colheres de sopa de queijo Quark

 

Bater os ovos e misturar com o queijo. Bati tudo grosseiramente. Temperei apenas com açafrão e pimenta preta.

unnamedfds.jpg

unnamedfds.jpg

Entretanto, colocar os espinafres e o atum na frigideira a saltear um pouco. Não usei gordura, porque os espinafres já têm azeite.

tresa.jpg

Verti os ovos sobre o atum e os espinafres.

5rdsx.jpg

 Envolver tudo até cozinhar.

ytgfc.jpg

Acompanhei com torradas com azeite.

 

Podem encontrar várias receitas espectaculares aqui ou aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:51

Devido ao facto de nem sempre ter tempo de manhã para preparar o pequeno-almoço, esta receita é ideal para mim. Depois da Maria Victória adormecer, é tempo de preparar a primeira refeição do dia seguinte.

As "overnight oats" ou, como eu lhes chamo, aveia da noite para o dia são uma excelente fonte de proteína e de fibra e ajudam a emagrecer. A grande vantagem é que as combinações são imensas, de acordo com o que temos em casa na altura.

Deixo-vo aqui a minha receita de ontem. Os ingredientes foram colocados em camadas, pela seguinte ordem:

11113706_837037206350818_7323570385624266296_n.jpg

 

 

- 3 colheres de sopa de aveia

- 2 colheres de sopa de leite de aveia

- 3 morangos congelados

- Iogurte líquido

- Sementes de chia

 

Coloquem tudo no frasco, copo ou recipiente que quiserem, tapem com papel aderente e levem ao frigorífico. De manhã está pronto a comer. Se quiserem comer 1 dia depois também fica óptimo.

 

 

Podem usar qualquer tipo de leite e até sumo.

Podem usar fruta congelada ou fresca. Fazer camadas com frutas diferentes.

Podem usar qualquer tipo de iogurte.

Podem usar as sementes que preferirem ou não usar sementes. 

Podem adicionar frutos secos.

Podem usar mel, açúcar, xaropes, etc.

 

Deixo aqui algumas imagens para se inspirarem e darem largas à imaginação.

ba.png

baa.jpg

baaa.jpg

baaaa.jpg

baaaaa.jpg

baaaaaa.jpg

baaaaaaa.jpg

baaaaaaaa.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:41

13 meses

17.05.15

 

 

 

 

 

2.jpg

3.jpg

4.jpg

5.jpg

a.jpg

b.jpg

c.jpg

d.jpg

e.jpg

fotografia 1.JPG

 

13 meses, 6 dentinhos e mais 2 a crescer. Dá os seus passinhos e, quando apanha uma mão que a ajude, quase corre. Está mais perigosa do que nunca. Tem predilecção especial por tomadas, fios eléctricos, portas abertas, esquinas afiadas... Não podemos distrair-nos dela um segundo que seja. Não importa. Eu faço questão de olhar para ela sempre.

Adora ir brincar para o parque. Os meninos e meninas um bocadinho mais velhinhos aproximam-se logo dela, fazem-lhe festinhas na cara e no cabelo. Um deles até a abraçou de tal maneira que a assustou. Adora ver outras crianças. São como um íman e aproximam-se todas umas das outras. Começou por gostar muito do baloiço. Agora só quer o escorrega. Desce e sobe vezes sem conta.

Ver crescer o meu bebé é a maior bênçao que eu podia ter. Parece que nasceu ontem e já é capaz de tanto. Diz papá, mamã, pé, bebé e várias outras combinações semelhantes. Bate palminhas, diz adeus, manda e dá beijinhos e dá-me os melhores abraços do mundo. A melhor coisa de estar longe dela, é vê-la a sorrir quando me vê, abrindo aqueles bracinhos para mim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:30

Vergonha!

13.05.15

Não consegui ver o vídeo todo. Senti revolta, nojo, vergonha. Tão jovens e já tão cruéis. Como se aprende a ser assim? Será que isto tem solução? Será que estes meninos e meninas conseguirão tornar-se pessoas melhores?

Não quero imaginar o que levou o miúdo abusado a ficar imóvel. Provavelmente, se reagisse a coisa seria bem pior.

Castigo bom não é institucionalizar estes pequenos monstrinhos. Bom seria pô-los a contribuir para a sociedade, trabalho em lares sociais, abrigos para animais, limpeza de florestas... Qualquer coisa que os ocupe e os faça produzir algo de útil.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:29

IMG_6016.JPG


Antes de engravidar, confesso que me metia imensa confusão falarem-me em semanas de gestação. Não percebia nada. Nunca percebi, na verdade. Só fazendo a conversão para meses é que conseguia entender quanto faltava para o bebé nascer. Engravidei e a confusão manteve-se. Percebi que o limite eram as 40 semanas (nalguns casos mais!), mas traduzir as minhas semanas para quem me perguntava era sempre complicado. Então, passei a andar com esta imagem no telemóvel. Não para mim (porque a mim só me interessavam as semanas), mas para os outros. Para as grávidas interessam só interessam as semanas. O resto do mundo quer é saber dos meses. Aqui está tudo clarinho como a água.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:47

Quase com 1 mês de atraso, devido à constipação que a pequenina teve, hoje foi dia de tomar as vacinas dos 12 meses: Meningite C e Sarampo, Parotidite e Rubéola.

Na semana passada, já tínhamos ido à consulta dos 12 meses com a pediatra. Estava tudo óptimo. Mas, agora, não havia como fugir às vacinas. Se eu pudesse, ao menos, tomá-las por ela...

Hoje a coisa foi terrível! Pela primeira vez, as vacinas foram aplicadas nos braços e foram logo 2! Nunca vi tal coisa. A primeira correu muito bem. Reagiu à picada, mas sossegou logo, como era habitual. A segunda foi completamente diferente. Gritou, chorou, esperneou e não parou. Foi doloroso vê-la assim e, muito a custo, conseguimos acalmá-la, já a enfermeira tinha saído. Assim que a enfermeira regressou para me entregar o boletim de vacinas, recomeçou a chorar em desespero. A enfermeira explicou que podia haver reacção à vacina nos próximos dias, numa vacina, e daqui a uma semana na outra. Depois, ainda tínhamos que passar no médico de família. Resolvi levá-la pelo seu próprio pé para ver se se distraía. Lá foi, toda pimpona... Assim, que chegámos à porta do doutor, viu a bata branca, parou e já não entrou e começou novamente o choro. Coitadinha, ficou com trauma à bata branca. Peguei nela e falámos brevemente com o médico e fomos embora.

Foi uma experiência muito má, para ela e para mim. Para quem tem uma filha que nunca chora, vê-la naquele desespero não foi nada fácil. Não sei como será daqui a um mês, quando for tomar a última dose da Prevenar... espero que já se tenha esquecido das batas brancas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:50

...

10.05.15
IMG_9924.JPG

IMG_9925.JPG

IMG_9926.JPG

IMG_9927.JPG


Adoro estes dias de sol e levar a princesa a passear.

Saímos com a intenção de irmos até ao parque Corgo, em Vila Real. Levámos mantinha e tudo. Pelo caminho mudámos de ideias e rumámos até Chaves, a minha querida terra.

Hoje, estivemos com todos os avós. Foi um fartote! Comemos pastéis, presunto, linguiça e fomos passear pelo parque à beira do Tâmega. Até vimos um carro que foi mergulhar no rio na noite anterior!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:04

Ando há semanas a querer escrever sobre isto, mas ainda não tinha tido coragem.

 

Não queria muito falar nos presentes que a minha princesa recebeu pelo seu 1º aniversário. Foram todos fantásticos, foram muitos, e somos gratos por eles. Porém, não queria vir para aqui exibi-los porque não quero que o seu aniversário seja especial pelos presentes que recebeu. Um dia a minha filha pode não receber presentes e vamos querer que seja especial na mesma.

 

No dia do 1º aniversário da Maria Victória, mesmo na véspera da sua festinha de baptizado, num momento raro de descanso, abro um email da minha irmã de coração, que vive na Índia. Pensei que ia ler as habituais saudações por mais um aniversário (sim, todos os meses celebrávamos como se fosse um aniversário). Afinal, já tinha recebido uma caixa cheia de presentes vinda da Índia para toda a família e, mais ainda, para a princesa. Quando abri o mai, nem queria acreditar no que via. Foi das coisas mais emocionantes e importantes e especiais que alguém poderia ter feito pela minha filha e por mim. Um verdadeiro exemplo que eu ainda não fui capaz de dar. Preferi fazer uma festa, em vez disto.

 

"Esta noite, para o aniversário da Mia Kutti (é assim que ela lhe chama), queria fazer algo por ela. Por isso, ofereci o jantar numa instituição onde meninas pobres são acolhidas. É um Lar muito antigo, já existe há muitos anos e estas pessoas não têm muito apoio. Eu servi-as e distribuí-lhes doces, também. Ela ficaram todas muito felizes e abençoaram a nossa Mia no seu aniversário. Eu acho que estas bênçãos são muito ricas. No vídeo, pode ouvir-se um cântico a abençoar a Mia e também a foto de Jesus. Foi uma pequena forma desta Tia celebrar o aniversário da Mia. Que Deus a abençoe sempre!"

 

Traduzo o e-mail que recebi e, novamente, as lágrimas escorrem-me pela cara. Não consigo expressar o que este gesto significou para mim. Não consigo mesmo. Sinto que tenho que partilhar isto porque, caso um dia eu não esteja cá para lhe explicar, a minha filha precisa de saber que há gente muito generosa que vive muito longe, que gosta muito dela e que lhe dá os melhores exemplos - que há meninas que não têm os mesmo privilégios que ela e que não podem ser esquecidas. Seja em que parte do mundo for.

 

 

a.jpg

as.jpg

dfh.jpg

sdf.jpg

unnamed.jpg

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:53

...

07.05.15

Hoje aconteceu uma coisa engraçadíssima.

Fui com a princesa à consulta dos 12 meses. Enquanto esperávamos que nos chamassem, brincámos na zona para as crianças. Depois, aborreceu-se e quis passear pelo átrio. Acompanhei-a pela mão e foi até ao balcão de atendimento, onde se encontrava um carrinho de bebé. Quis espreitar e cumprimentar a princesinha que lá estava. Entretanto, a mãe da menina diz: "Ah! É a Maria Victória!" E eu: "Sim...", a tentar perceber de onde eu conhecia a senhora. Não conhecia. Esta mamã é que conhecia a minha filha por causa do blogue. :)

Foi a segunda vez que nos aconteceu isto. Da primeira vez, a menina não se acusou e disse-me mais tarde que conheceu a minha princesa numa esplanada. Desta vez, a mamã esteve mesmo a falar connosco. Adorei a sensação. A maior parte das vezes sinto que estou a falar só para mim ou para um pequeno grupo de pessoas que vai reagindo ao que escrevo. É bom saber que nos acompanham, que sentem carinho pela minha filhota e adorei conhecer esta mamã.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:18

A auto-estima

04.05.15
Com a maternidade vem, não raras vezes, a falta de auto-estima. O corpo transforma-se e as rotinas e as prioridades também. Aquela barriga enorme que antes se exibiu com orgulho dá lugar a uma pança vazia e flácida. A gordura que o corpo foi acumulando para alimentar bebé e mãe teima em não sair. As mamas agora vertem leite e lá se foi o imaginário sensual a que as associamos. A hora do banho é quando o bebé deixa. Muitas vezes, tem de se optar entre o banho, uma refeição a correr e uma sesta. Tudo isto (e a lista podia continuar) pode desencadear na mulher um decréscimo vertiginoso na sua auto-estima. Aconteceu comigo. Durante este ano que passou em que vivi a experiência mais tudo que alguma vez viverei, consegui descer até bem lá abaixo. Eu praticamente deixei de existir. É a culpa só foi minha. Prioridade nº 1 - a minha filha. Vivo em função dos seus horários e das suas necessidades. Não quero perder um minuto que seja dela. Quando está acordada estou com ela. Quando está a dormir fico a olhar para ela. Acabaram-se as depilações a laser, as massagens, as máscaras, o verniz gel, os livros, as revistas, as séries, a roupa... Como, durmo e respiro bebé. Prioridade nº 2 - o trabalho. 1 mês e meio depois do meu amor nascer, muito contrariada, regressei ao trabalho. Como o faço a partir de casa, pensei que fosse mais fácil. É um engano. Foi pior. E vieram ainda mais responsabilidades. Até aos 6 meses fiquei dia e noite com ela. Na alcofa ao meu lado, quando dormia. No meu colo quando estava acordada. Foram horas e horas ao computador: teclado numa mão, Maria Victória na outra. Inúmeras chamadas de conferência em que lhe ia dando um leitinho. Felizmente, ela foi sempre muito sossegada e os meus interlocutores até gostavam que ela os saudasse. E, pronto, acabaram-se as prioridades. Não havia mais nada para além disto. O marido, tal como eu própria, foi chutado para canto. Não há tempo para mais ninguém. Não saio de casa, não sei o que se passa no mundo, não quero saber. Pelo meio, apareceu uma ligeira depressão (provocada por agentes externos) que, aproveitando esta fragilidade, se instalou e agravou tudo. Ansiedade, pânico, insegurança, medo, tristeza. Já não era mais eu. A entrada em 2015 fez-me rever prioridades. Para alguma coisa tem que servir a chegada de um novo ano. Como é óbvio, mudanças deste género não se operam do dia 31 para o dia 1. Mas tomei a decisão de ir mudando. Ainda não consigo colocar nada nem ninguém acima da minha querida filhinha. Não sei sequer se quero. Mas tem que haver mais alguma coisa para além dela e do trabalho. Quero que ela tenha orgulho na mãe, a todos os níveis. Sei que devia estar a fazer isto por mim e não por ela, mas vou fazê-lo pelas duas. Vou ter de separar algum tempo para investir em mim. Pode ser para me embelezar, para me cultivar, para relaxar, para me fortalecer ou para não fazer nada. Acho que só assim serei uma melhor mãe para a minha filha e uma pessoa melhor para mim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:22

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D