Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




As avós da minha bebé andam excitadíssimas com a chegada da primeira neta, de ambos os lados. Primeira neta, primeira bisneta, primeira sobrinha. É a primeira, e pronto.

 

Já andavam meio desesperadas com a possibilidade de não virem a ter netos. Pelo menos os meus pais, dado que sou filha única. Eu e o meu marido já estamos casados há mais de 4 anos, não nos apetecia ter filhos e evitávamos o assunto. Somos daqueles que até gostamos de crianças, mas pelas mãos dos outros. Quando vamos jantar fora, não gostamos nada de berreiros e gritarias, etc, etc. Posto isto, andávamos a adiar a decisão de sermos pais. Era uma certeza que tínhamos, mas se pudéssemos adiar mais um bocadinho...

 

Quando ficámos grávidos, foi a alegria do povo. Confesso que a minha mãe, por ser minha mãe, estava mais aflita com a minha reacção à gravidez do que feliz por ser avó. Eu tinha tanto medo que algo corresse mal, que não me permiti ficar feliz, nem permiti aos outros. Assim que a fase crítica passou, foi a loucura total.

 

Sobretudo as avós andam numa correria desenfreada a comprar tudo e mais alguma coisa. Tem que se lhes pôr um travão. É calcinhas e camisolinhas e mantinhas e gorrinhos e babygrowzinhos e vestidinhos e pantufinhas e sei lá mais o quê. Uma delas nem me dá as coisas. Fica com elas lá em casa, nem percebo porquê. Deve pôr-se a olhar para aquilo quando está mais aborrecida.

 

Entendo a excitação delas, mas não deixo de achar que é muito prematuro. Eu estou grávida de 4 meses. Ainda falta mais de metade do tempo. Fico feliz que andem entusiasmadas, poupam-me imenso trabalho e dinheiro. Só receio o dia em que comprem qualquer coisa que eu não goste. Não vou consegui dizer que é bonito e tenho a certeza que vou partir um coração. Espero que esse dia nunca chegue. Elas têm bom gosto, é o que vale!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:24


4 comentários

Imagem de perfil

De quero a mama a 03.12.2013 às 20:26

ola , comecei a seguir o seu blog há alguns dias e estou a adorar ler o que escreve, e identifico-me tanto com o que escreve que as vezes parece que me estou a ouvir. há três anos atras por esta altura estava gravida do meu primeiro filho e por coincidência com a mesma idade que tem e os medos e as duvidas eram tao parecidos com os seus, mas acredite com o tempo eles vão passar e são legítimos. desejo-lhe o melhor nesta fase e vou continuar a acompanha-la sempre que puder.
Imagem de perfil

De por Mara Moura Sampaio a 04.12.2013 às 10:12

Muito obrigada pelo seu comentário. Nem imagina a falta que me faz poder ler as suas palavras. Às vezes, até parece que me estou numa ilha sozinha de tão isolada que me sinto. É óptimo perceber que mesmo as sensações mais estranhas também já foram sentidas por outras pessoas.
Muito obrigada.
Imagem de perfil

De quero a mama a 04.12.2013 às 19:14

Acredite que os seus medos ja foram vividos antes por outras mulheres algumas como eu admitem-no outras nem por isso, eu sempre sonhei ter filhos, o dia do meu teste positivo , foi um misto de sencacoes, ao mesmo tempo, que fiquei euforica, ao mesmo tempo bateu tambem m medo enorme do tioo o que fqco agora? Depois ao longo das semanas que iam passando apareciam certezas mas tambem incertezas, cada consulta era um sobressalto estava sempre a espera que alguma coisa nao estivesse bem, mas fekizmente estava, o medo do parto esse entao era um tormento, punha-me a imaginar tudo e mais alguma coisa, queia falar com alguem mas tinha medo que gozassem com os meus medos, pois desde que o mundo é mundo as mulheres tem filhos, e eu haveria de ter o meu, e tive nasceu de cesariana as quarenta semanas e so ai descancei quando olhei para ele vi que estava bem. Por isso digo-lhe: Tente descontrair ao maximo, goze cada momento dessa gravidez e aproveite que vai haver um momento em que vai te saudades de quando a sua filha estava dentro de si:-) com o nascimento comeca uma nova etapa e nao os medos nao se vao embora aparecem outros mas nao trocava o meu piolhito de 2 anos por nada deste mundo. Nascemos de novo quando nascem os nossos filhos e com eles vamos crescendo e aprendendo
Imagem de perfil

De por Mara Moura Sampaio a 04.12.2013 às 19:40

Obrigada pelo apoio, mariagabriel.
Sabe bem sabermos que não estamos sozinhas. :)

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D